Ja passamos os 200.000!!! e crescendo cada vez mais!


MUITOS ACESSO DO BRASIL, ESTADOS UNIDOS E PORTUGAL.
VOCE NAO ESTA SOZINHA COM ESTE PROBLEMA, ELE E' BEM MAIS COMUM DO QUE VOCE IMAGINA E ASSIM COMO VOCE SE SENTE ENVERGONHADO/A A FALAR, 99.9% DAS PESSOAS BULIMICAS TAMBEM!

SEGUE A HISTORIA DA ANA DE PORTUGAL: QUEM PUDER COMENTE E MOSTRE QUE NAO E' SO' ELA QUE PASSA POR ISSO, SIM E' BASTANTE SOFRIDO PRA QUEM NAO CONSEGUE SAIR, SO QUEM PASSA POR ISSO, OU JA PASSOU ENTENDE, MAS AQUI QUEREMOS DAR LUZ, CARINHO, ESPERANCA E FALAR QUE EXISTEM OUTRAS MANEIRAS DE CUIDAR DO CORPO, NA VERDADE DESTE JEITO SO ESTAMOS MALTRATANDO! 


"MInha "amizade" com a anorexia e a bulimia começou tinha eu 17 anos.  Sempre fui uma menina bastante magra, feliz e divertida até aparecer a minha primeira menstruação, aos 16 anos. Não aceitei  as tranformações do meu corpo, assustava-me bastante ter de crescer e ser mulher, queria ser criança para sempre...... Nunca cheguei a fazer jejum total, mas passei dias com apenas duas maçãs e um prato de sopa. Com a passar do tempo, o corpo começou a sentir a falta de alimentos e era cada vez mais dificil resistir à tentação...foi aí que experimentei o vomito, com algum receio, medo talvez... A minha vida nunca mais foi a mesma. Parei os estudos, deixei de sair, de me divertir , de convinver, a vida deixou de fazer qualquer sentido, apenas vivia para a balança, a dieta e os alimentos saudaveis. Passados 3 anos do inicio deste "estilo de vida" , mal conseguia comer, o estômago não aceitava a comida. Minha mãe levou-me ao medico de familia e este encaminhou-me para o hospital santa maria, especializado nestas doenças. Comecei então a ser acompanhada por psiquiatra, psicologo e nutricionista. Durante dois anos andei em tratamentos, melhorei um pouco, mas não me curei. Atualmente, não tenho qualquer tipo de acompanhamento e tenho dias que só apatece morrer, encho-me de comida, provoco o vómito, choro, revolto-me...e sofro, sofro!!
Espero que o meu testemunho possa ajudar de alguma forma o vosso grupo e ao mesmo tempo sentir que não estou sozinha nesta luta.
 
Beijinhos
 
 
Ana "





 

Comentários

  1. Priscila!
    Obrigada por compartilhar minha historia, e obrigada por me fazerem sentir que não estou sozinha nesta luta!

    Beijinhos, Ana

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas