58. Família

Recebo muitas mensagens, tanto aqui, como no email, resolvi fazer diferente agora...
Vou escolher algumas perguntas e responder na primeira página do blog.
Muitas pessoas tem as mesmas dúvidas e vale a pena divulgar aqui.

``Oi Potira. Achei teu blog há alguns dias. Venho lendo e a cada dia percebo mais semelhanças entre as pessoas bulímicas. Minha irmã vive esta doença há 10 anos. Ela tem 19 anos. Minha família está completamente desestruturada pela falta de resultados nos tratamentos. Nos unimos, conversamos com ela, brigamos pelas agressividades que recebemos dela (inclusive físicas), aconselhamos, choramos juntos e estamos seguindo a risca o tratamento da psicologa, psiquiatra e nutricionista. Nada parece adiantar. É como um ciclo... Ela passa um tempinho melhor e de repente as coisas voltam com mais forças. Ela nega a doença. Mente. Tem dias que ela fica super depressiva e outras vezes polemica, agressiva. Eu sou um problema para ela por achar que sou mais bonita. Eu amo a minha irmã e quero vê-la curada. Eu tenho 21 anos e acho que estou enlouquecendo junto com tudo o que essa doença traz de ruim. As vezes me pego chorando, de repente. Realmente é muita pressão. Gostaria de saber o que poderia fazer para ajudar. Já que tu viveste uma situação similar e a mesma doença, talvez possas me ajudar, dar algum conselho. Obrigada. ``

Resposta. : É um ciclo que demora anos e nem a própria família as vezes aguenta. Mas o amor de vocês deve estar acima de tudo. O que não pode é super proteje-la por ela ter bulimia. Se envolva sem entrar na loucura da sua irmã, senão é você quem vai desenvolver um quadro não saudável. Separe o que te pertence e o que não te pertence. Ex. Se você estiver triste por uma agressividade da sua irmã, a agressividade é dela, deixe com ela, não carregue este peso com você. Essa tristesa não é sua e nada vai ajudar se você tomar essa dor para si.

É difícil se manter sã quando vemos alguém que nós amamos com problemas, mas assim é preciso senão ao invés de melhorar a situação, só pioramos. Não se sinta NUNCA culpada pelo problema dos outros. Cada um se protege do mundo da maneira que consegue, a insegurança faz parte dela e mesmo que 99% a achasse mais bela que você, ainda sim ela não estaria convencida porque ela mesma se coloca pra baixo.

Aqui no blog tem um post chamado: Como a família pode ajudar.
são dicas básicas.

Acima de tudo você também precisa de uma espaço teu, precisa de ajuda para entender tudo isso que acontece na sua família. Uma pessoa doente na família pode adoecer a todos sim. Procure alguém pra conversar, um terapeuta, um amigo, cuide de você. Não julgue e nem culpe as fraquezas de sua irmã. Todos nós temos alguma. Tenha paciencia, amor e compaixão.

grande abraço.

Comentários

  1. Oi, Potira! Estava ansiosa para ver a tua resposta. Obrigada por teres te preocupado em responder! Achei realmente o máximo a atitude de fazeres um blog para tratar sobre bulimia, os posts sobre a tua vida e a preocupação que tu tens com os outros. Normalmente as pessoas procuram esconder quem são e o que vivem por vergonha de se mostrarem com fraquezas. Admiro muito tua iniciativa. Aliás, pela foto vi como tu és bonita e não entendo como não podias te enxergar assim. Fico impressionada com este fato porque a minha irmã é uma guria linda e também não se vê como realmente é. Parece que a tua resposta me deu um ar de paz, acredito estar agindo da melhor maneira que posso. Fiz uma pesquisa sobre o que é a bulimia (e mais algumas coisas que a doença envolve) e entreguei para todos os familiares próximos. Acho muito importante que a informação seja divulgada e compreendida, só assim podemos ajudar alguém que está doente. Tenho cuidado de mim também e procurado ajudar como posso, mas dói ver alguém que amo tentando a autodestruição todos os dias. Acredito que devemos nos ver como corpo, mente e espírito. Não somos somente corpo, corpo e corpo. Existem alguns livros que podem ajudar no autoconhecimento como o livro "Terapia do Inconsciente" de Renate Jost de Moraes ou até mesmo livros bem conhecidos como "A Cabana". Talvez ajudem a ver a vida com outros olhos. Olhos mais entusiasmados diante da vida porque é isto o que temos de mais valioso. Vou continuar com fé que tudo vai mudar! Muito obrigada pela tua ajuda! Vou seguir acompanhando o blog. Adorei! Um abraço!

    ResponderExcluir
  2. Não tenho bulimia, apenas anorexia.
    E estou tentando sair dessa ..
    Tenho períodos de NF e compulsões periódicas (tipo hoje)...
    A primeira coisa que penso após uma compulsão é em fazer NF, antes eu conseguia fazer LF tranquilamente, mas depois que comecei com os NFs, vieram as compulsões ...

    Estou tentando montar um cardápio para eu seguir, acho que se eu me impor uma regra, eu consiga me controlar melhor.
    Com isto, eu gostaria muitíssimo de pedir que vocês postasse algumas dicas de cardápios de poucas calorias.

    Obrigada.
    Vivi.

    ResponderExcluir
  3. oi potira, tenho 20 anos e hj vomitei pela primeira vez, quer dizer, eu que me forcei a vomitar. tive que tomar uma garrafa de vinho pra fazer isso e me sinto pessima, nunca pensei que fosse fazer isso, mas essa e a primeira vez que estive em meu peso ideal, sempre estive abaixo dele e me sinto gorda, horrivel... sempre tive facilidade pra emagrecer, com um pouco de esporte e equilibrando a alimentacao consegui, mas estou a tres anos parada, so comendo besteira ja falei pra minha mae so comprar comida saudavel, ja que como tudo aqui, mas agora ela me aparece com doce e salgadinho... quero jogar todo esse lixo fora!!! parece que ela quer que eu engorde, nao entendo.... mas nao pretendo vomitar de novo, vou voltar a corrida e jogar esses lixos daqui de casa no lixo, nao aguento me sentir desse jeito. sou mto ansiosa, engordei 3 quilos em uma semana por causa do vestibular e nao perdi ainda... mas nao vou ficar doente, pelo menos eu espero.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas