45. NENHUMA RAZAO É PEQUENA

A Bulimia é uma doença que destroi a auto estima. Primeiramente a pessoa não se acha capaz de emagrecer, depois não se acha capaz de se curar e por útlimo, a pessoa se esconde do mundo por vergonha da sua condição.




Quando eu tinha bulimia, me sentia o oposto do que eu mais queria ser. Me sentia gorda, dependente e doente. No entanto, meu maior desejo era conseguir ser magra, livre e saudável. Não me lembro de quadros depressimos extensos em minha vida, mas vivi uma montanha russa de emoções. Me sentia muito triste com minhas recaídas e mais triste ainda com qualquer dois quilos a mais.



As pessoas julgam que os “pequenos” motivos como dois quilos a mais, não são o suficiente para deixar alguém doente e nem merecem tanta atenção. Porém algumas das pessoas que enfrentam a bulimia ou a anorexia preferem perder uma perna, ou morrer ao ter que viver acima do peso.


Não são os motivos que são pequenos, apenas as pessoas que tem percecpções e sensações muito distintas de alguém com disturbio alimentar.


A “prima” da bulimia, a famosa anorexia é campeã mundial em indice de suicídios. Tanto o voluntário quando há a intensão de se matar, como o involuntário, quando a pessoa morre antes do tempo por atos irresponsáveis.


Nenhuma razão deve ser ignorada ou taxada de fútil. Compreender o valor e a dinamica que um quilo a mais tem na vida de alguém com transtorno alimentar é uma difícil missão para qualquer terapeuta. Porém dentro desse quilo a mais pode estar o peso de uma vida inteira e a imagem corporal pode ser apenas um simbolo de dores, incertezas e traumas.

Comentários

  1. Comecei a fazer tratamento para disturbios alimentares há seis meses, e agora com nutricionista, não posso mais usar laxantes ou forçar vomito. Engordei quase dez quilos nos últimos dois meses, apesar de a dieta proposta ser adequada, não consigo fugir aos impulsos da compulsão alimentar. Alguma dica? Tentei a estratégia de Low Food, mas as pessoas a minha volta acabam comentando e temendo que esteja sem comer.

    ResponderExcluir
  2. Entendo perfeitamente o que tu diz... nos dois ultimos meses, comecei a ter compulsoes muito fortess..tao fortes que nem a bulemia me servia mais....comecei a engordar..ja foram 6kg, e eu nao era muito magra nao..agora me sinto gorda, feia, suja...a depressao me pegou e eu nao quero mais sair de casa, nao quero ver meus amigos,perdi meu estagio e minha faculdade..outro semestre começa e eu estou gorda,as pessoas pensam que isso é futilidade. Nao sair por estar gorda?que futil.nao quero botar minhas roupas, ver o que minha falta de controle fez com o meu corpo. Assim vou ganhando peso,quanto mais fico em casa, mais peso ganho, quanto mais peso ganho mais fico em casa. Vejo a vida passando pelos meus olhos e nao consigo agarra-la, me pergunto quando tudo isso vai acabar ?

    ResponderExcluir
  3. Não sei se já houve algum post com esse tema, mas eu queria saber como é a relação de um bulimico com o trabalho, pois eu não tenho conseguido lidar com essa obrigação de comer com os colegas de trabalho sem poder vomitar e sem poder ficar quase sem comer, parece que todo mundo nota e pudera, acho que 90% do tempo eu to falando de comidas, calorias, gordices e tal... Fora o estresse durante as crises!

    ResponderExcluir
  4. Ainda nao teve nao.
    Vou pensar nesse dilema e tentar escrever sobre isso. beijos,

    POTIRA - MIA BULIMA

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas